Sexta-feira, 14 de Agosto de 2009

BBC Vida Selvagem

Todos vocês já conheceram, com certeza, um caçador de multas.

É aquele polícia que vos manda parar numa operação de rotina e vos multa por terem um farol descaído um milímetro ou por o vosso colete não estar dobrado ou por terem demasiados mosquitos colados no vidro.

Todos sabemos que as regras existem e são para cumprir mas há determinados factores que não podemos controlar.

A última que aconteceu ao meu namorado (o rapaz tem um azar, está sempre a ser multado) foi caricata. Ele dirigia-se a casa vindo de Lisboa e apanha operação stop na Segunda Circular. Eram sete da tarde. Ainda dia mas já a escurecer, já alguns carros levavam os faróis ligados. Claro que ele foi multado por ter o médio do lado esquerdo fundido. Nós costumamos andar sempre com os faróis ligados, mesmo durante o dia, principalmente por causa das ultrapassagens dos "doidos".

Pormenor: na noite anterior tínhamos saído e estava tudo ok. O farol fundiu-se algures durante o dia e é óbvio que é impossível reparar numa coisa dessas, pois viajamos... dentro do carro.

O caçador de multas não aceita justificações, não é para isso que ele lá está. O habitat natural deste espécime é qualquer curva com pouca visibilidade onde possa camuflar-se para poder surpreender as suas presas sem que estas tenham oportunidade de fuga. O caçador de multas é impiedoso. Seria mais humano se nos apontasse a arma de serviço à cabeça e nos ficasse com a carteira. 

É um caçador metódico, que segue um sistema de resultados comprovados e se regozija com os despojos da matança. Quanto mais papelada tiver para preencher ao final do dia, mais estatuto alcança o caçador de multas na hierarquia do grupo. À noite, na toca, o caçador de multas queixa-se de que a comida está demasiado salgada e estuda métodos para tornar a sua actividade ainda mais eficaz.

Até agora, esta era uma profissão extremamente discriminada. Não era oficialmente reconhecida nem suficientemente recompensada. Mas agora, finalmente, vai acabar a injustiça no mundo dos caçadores de multas. Poderão caminhar, entre os seus pares não caçadores, de cabeça erguida e mijar nas mesmas árvores. O caçador de multas já vai poder marcar o território como qualquer polícia não caçador.

Tudo graças ao Comandante da GNR de Portalegre, que decidiu dar uma semana de férias extra a quatro caçadores de multas ao seu serviço, que demonstraram particular "zelo e mérito" na caça diária.

É o amanhecer de uma nova era para os caçadores de multas que poderão finalmente ocupar o seu lugar de direito na savana rodoviária. 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:16
link do post | comentar | Flatulências (9) | favorito
Quinta-feira, 26 de Março de 2009

To protect and abuse!

Multado duas vezes num minuto

Link para a notícia do JN.

 

Faz lembrar, com as devidas diferenças, aquele senhor que nos multou porque o meu namorado tinha as luzes de nevoeiro do carro ligadas... num dia de aguaceiros.

E que depois não queria acreditar que ele não sabia que tinha um médio fundido: "o senhor condutor não minta, que eu autuo-o duas vezes"...

"Ligue as luzes, ligue as luzes! Já lhe disse para ligar as luzes!"

E as luzes estavam ligadas...

Anda por aí muito polícia a precisar de um belo de um Xanax, é o que é!

Esta questão da criminalidade anda a dar com eles em doidos!

Ainda ontem, um homem foi morto a tiro numa estação dos CTT de Oeiras porque foi confundido com um polícia.

Entendo que andem sobre grande pressão, que sintam que têm alvos pintados na testa mas não há necessidade de andarem a descarregar no pessoal que tem o azar de se cruzar com eles nas estradas.

Se o homem ia a falar ao telemóvel, acho muito bem que seja multado. Não concordaria se lhe perdoassem uma coisa dessas. Mas duas vezes? Porque não chamaram todos os carros patrulha que estavam na área? Podiam conseguir quebrar algum recorde!

 

 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:40
link do post | comentar | Flatulências (16) | favorito
Segunda-feira, 14 de Abril de 2008

Oh senhores agentes, então?

Hoje quando cheguei à faculdade, tive especial dificuldade em arranjar lugar para o carro. Quatro da tarde e não havia um buraquinho em lado nenhum.

Normalmente, não deixo o carro estacionado fora dos lugares para o efeito porque os senhores polícias de trânsito de vez em quando (duas ou três vezes por semestre) lembram-se que a Cidade Universitária (CU) é local de estudantes avessos a pagar parque para assistir às aulas. Quer dizer, o sacrifício já é suficientemente grande para ainda termos de pagar por isso.

Hoje, estava mesmo tentada a deixar o carro onde quer que fosse. Já estava na hora e eu já tinha dado umas cinco voltas à CU. Entrei numa daquelas ruas mais calmas, por trás da faculdade e começo a ver imensos lugares. Pensei: Weeeee! E depois, vi-os! Três uniformes escondidos no meio dos carros. Continuei, lentamente, e os senhores sorriam-me! Achei estranho e fui dar mais uma volta. Quando passei por lá logo a seguir, já se tinham ido embora. Então abrandei para ver o estrago. Estavam uns cinquenta carros naquela ruazinha. Todos eles tinham um presente no vidro.

Tendo em conta que, nas proximidades, há umas cinco ruas onde o pessoal estaciona indevidamente e que duas delas são avenidas, já percebo porque é que os senhores estavam a sorrir. Deve ter sido uma tarde muito produtiva!

  

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 22:27
link do post | comentar | Flatulências (16) | favorito
Quarta-feira, 12 de Dezembro de 2007

Trabalhar para o boneco...

Há certas coisas que gostava de ter presenciado em vez de ler no jornal do dia seguinte! A que se segue, é uma delas!

Na segunda-feira, por volta da uma da manhã, um taxista roubou um táxi em Santa Apolónia, fugiu e foi perseguido até Chelas, onde o capturaram. Foi identificado e colocado em liberdade.

Ainda antes das seis da manhã de segunda, já estava de novo em Santa Apolónia, a roubar outro táxi.

Desta vez não o deixaram ir embora. Ficou na esquadra até as sessões começarem, altura em que foi presente a tribunal, onde lhe aplicaram a medida de coação de termo de identidade e residência.

Claro que a seguir, o que é que ele foi fazer? Dirigiu-se à praça de táxis de Santa Apolónia e... roubou outro táxi! Finalmente, lá o meteram em preventiva!

Isto teria um piada descomunal se fosse uma anedota! Mas não é, aconteceu mesmo!

Se fosse polícia, eu ficava indignada! Então mas quantas vezes é que têm de apanhar o mesmo homem?

E para que raio é que o gajo queria um táxi? Ainda por cima da praça de táxis de Santa Apolónia...

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 15:47
link do post | comentar | Flatulências (22) | favorito
Quinta-feira, 18 de Outubro de 2007

No meu tempo não era assim!

Estou revoltadíssima! Neste momento, não tenho a menor vontade de rir!

Vinha toda contente da escola! Amanhã vou-me baldar às aulas porque o meu gajo faz anos e como tal, já estou de fim de semana! O que me custou! Por isso, vinha muito contente! Sentei-me no sofá a ler o jornal e aparece-me aquela afronta à frente!

Na terça-feira, numa escola da Amadora, um monte de miúdos juntou-se para ver uma cat fight entre duas raparigas que disputavam o mesmo rapaz. Dois agentes da PSP, num carro patrulha, aproximaram-se para resolver a questão. Assim que saiu do carro, um dos agentes foi violentamente atingido por uma gigantesca pedra de calçada. Resultado: sete dentes partidos e fractura do maxilar. O pobre homem está agora desfigurado. E quem é que terá sido o responsável por tão vil acção? Pois, o responsável é um rapaz que trazia à cintura uma arma de fogo e costuma vender droga aos coleguinhas de escola, uma vez que terá à volta de 17 anos! E depois, o que é que ele fez? Fugiu e escondeu-se na Cova da Moura, claro, o que mais?

É que o enredo é sempre igual. Normalmente o que varia são as vítimas mas o resto já é demasiado familiar. X fez isto a Y e escondeu-se na Cova da Moura ou no 1º de Maio ou na Santa Filomena! E pronto. Aquilo para eles funciona mais ou menos como um santuário. Enfiam-se lá por aquelas ruelas e parece que se fundem nas paredes! Na volta é como o País das Maravilhas, com alçapões e túneis e passagens secretas e mesas de chá. E relógios de bolso, não esqueçamos os relógios de bolso!

 A verdade é que nos últimos anos a figura do polícia perde cada vez mais autoridade. Se virmos os números, a situação é alarmante. Só no ano passado 1185 polícias sofreram ferimentos durante o cumprimento de funções, entre PSPs e GNRs , a uma média de três por dia.

Mas ninguém deve considerar a agressão a um agente da autoridade muito grave: apesar de ser considerada crime público, é punida com 5 anos de pena de prisão.

Olhem, no meio disto tudo, penso que já deixei clara a minha posição e a razão da minha indignação. Só digo mais uma coisa: se eu apanhasse o puto que fez isto, sozinho numa ruela escura, longe dos grandes grupos que normalmente validam e dão força a estas crianças malformadas , dava-lhe uma traulitada e o rufia havia de acordar pendurado num poste de electricidade PELO ESCROTO!!!!

sinto-me: Perigosa

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 21:39
link do post | comentar | Flatulências (10) | favorito
Domingo, 19 de Agosto de 2007

Venha lá a saliva!

Portugal é mesmo um país sui generis ! Há meses que se fala de implementar o teste de despiste de drogas na fiscalização rodoviária, há pelo menos semanas que os referidos testes estão disponíveis, mas no primeiro dia em que são utilizados, muitos deles, simplesmente, não funcionavam convenientemente!

Claro que essa situação foi encarada como um facto absolutamente normal por parte das forças de segurança, mas será que é mesmo? Se eu criasse um medicamento, o lançasse no mercado e no primeiro dia de vendas, algumas pessoas morressem na sequência da ingestão desse medicamento, será que me poderia desculpar com um: "É normal, porque foi o primeiro dia."?

Mais caricato que isso só o facto de não existir, aquando desse primeiro dia de testes, uma directiva relativa às chamadas drogas autorizadas, como por exemplo, as benzodiazepinas , componente principal de muitos ansiolíticos . O que é que se faz? Leva-se o homem de cana ou não?

Hoje lá vieram os pacificadores dizer que em caso de presença de benzos " não se multa ninguém e deixam-se os condutores seguir viagem. Mas não sem que antes a presença dessa substância seja notada e assinalada pelo "faro" do teste.

Este é apenas um dos casos que virão a ser mais recorrentes mas palpita-me que, nos próximos meses, haverá muita indignação relativamente a outras drogas autorizadas, contendo princípios activos menos "respeitáveis". E então, qual será o tempo de resposta para a reposição da justiça, dos senhores da lei? 

sinto-me: À espera de deslizes

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 02:08
link do post | comentar | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. BBC Vida Selvagem

. To protect and abuse!

. Oh senhores agentes, entã...

. Trabalhar para o boneco.....

. No meu tempo não era assi...

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
blogs SAPO

.subscrever feeds