Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

Línguas democráticas

Às vezes escrevo certas coisas e arrependo-me... Não que tenha algum tipo de receio de represálias, até porque não há grande coisa que possam fazer ao meu eu virtual. Mas não sei, sempre fui muito bem educadinha e por princípio não costumo dizer ou escrever nada com o propósito de magoar alguém.

Mas diga-se a verdade: sou bastante crítica das coisas que me rodeiam e não hesito em expor o meu ponto de vista mesmo que ele possa ser algo indigesto para alguns.

Nestas férias, aproveitando algum tempo livre, pude voltar a ler como deve ser. Livros, muitos, de forma quase compulsiva mas também jornais e revistas que nos últimos tempos mal folheava.

E apercebi-me: qualquer tipo de sentimento de culpa que eu possa vir a ter em relação a algo que escrevo é absolutamente infundado. Meus amigos, perto da maior parte dos nossos fazedores de opinião, eu sou um cordeirinho. E nem sequer chego à categoria de ovelha negra.

Senão, vejam o que escreveu Pacheco Pereira na última edição da revista Sábado, a propósito de Luís Filipe Menezes e dos seus ataques à liderança do PSD, pouco tempo depois de dizer que nunca o faria:

 

"Ninguém esperava outra coisa de alguém que se demitiu à tarde (...) e na mesma noite já preparava o regresso com ambiguidades em Sintra. Acho que fez bem e prestou mais um serviço a Manuela Ferreira Leite: lembrar e mostrar a imensa, abissal diferença entre aquele intervalo psicótico de seis meses e a vida normal de um partido político."

 

Estão a ver? Por muita doidice que eu escreva, acho que nunca insinuei que alguém teria distúrbios mentais. Pelo menos alguém que toda a gente conheça.

Mas vamos admitir: digam lá que não gostaram de ler isto?

Está na moda, insultar todos aqueles que nos desagradam profundamente, mas com classe, quase veladamente!

Ah! Democracia! Como nos afias as línguas!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 14:40
link do post | comentar | Flatulências (8) | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 185 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Línguas democráticas

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
SAPO Blogs

.subscrever feeds