Quarta-feira, 30 de Setembro de 2009

Espancamento ao público

Ontem foi um dia absolutamente doido.

Passei a hora de almoço na faculdade a tentar pedir as provas do mestrado (160 euros, tau!).

Apanhei com a mulher mais estúpida dos serviços administrativos da faculdade, que me obrigou a andar a correr entre os três pisos, me tratou mal, com aquele tom que as pessoas utilizam quando acham que somos profundamente ignorantes e parvinhos, e no fim ainda me disse que eu tinha 200 euros de propinas em atraso, quando eu tinha a certeza que tinha tudo pago. Sinto-me profundamente roubada! Mas já encontrei os recibos e isto não fica assim.

No caminho de volta ao trabalho um doido de um velhote ia-me batendo duas vezes, a fazer exactamente o mesmo: faz pisca e atira-se para cima de mim, que estou na faixa ao lado e ainda reclama porque fez pisca, como se isso lhe desse direito a lixar-me o carrinho todo que o papá me emprestou! Dei bom uso à buzina e fartei-me de berrar, parecia uma doida. Como já tinha utilizado um tom de voz bastante mais firme e alto do que o normal na secretaria, hoje dói-me a garganta. E tenho dores musculares da maratona nos corredores da fac.

O caminho para a faculdade não foi melhor. O meu irmão é que estava a conduzir e aquele puto tem um problema qualquer com o acelerador. Fui o caminho todo a dizer "Cuidado com o peão!", "Está vermelho, está vermelho!", "Cuidado, o gajo não fez pisca!". Eu queria muito chegar à faculdade mas preferia não morrer a caminho, ou pior!, ser multada... 

Tenho que aprender urgentemente a relaxar ou não prevejo um fim nada simpático para a minha pessoa. Não sei processar muito bem a estupidez e a incompetência dos outros... Levo aquilo mesmo muito a mal, como se fosse uma ofensa pessoal. A sério, a estupidez humana ofende-me pessoalmente, faz-me urticária no cérebro. Alguém tem que incutir ao pessoal da secretaria o conceito de atendimento ao público. É fácil, é só fazerem exactamente o contrário daquilo que costumam fazer. Eu já nem peço que nos tratem bem, basta que não gozem com a nossa cara. Não deve ser muito difícil.

Ah, descobri ainda que vou ter de pedir um carrinho de mão emprestado para levar os nove exemplares da tese até à secretaria. Prevejo mais um belo assalto à minha carteira.

Ainda no outro dia me perguntavam se eu não queria fazer o doutoramento a seguir. Pá, acho que era mais fácil atirar-me logo de um penhasco, aposto que doía menos. Acho que já chega de masoquismo...


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 19:33
link do post | comentar | Flatulências (6) | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 185 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Espancamento ao público

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
SAPO Blogs

.subscrever feeds