Domingo, 11 de Novembro de 2007

A probabilidade da improbabilidade

O sábio povo diz: "Cada macaco no seu galho." e não poderia ter mais razão.

Os deputados norte-americanos acusaram a NASA de negligenciar a vigilância dos asteróides, dizendo que a Terra poderá ser atingida por um deles em 2029 mas a agência espacial americana já veio responder que os riscos são mínimos.

O asteróide em questão, de seu nome Apophis , demónio que traz o caos à terra, para os antigos egípcios, tem cerca de 250 metros de comprimento , bastante menos que os cerca de dez quilómetros de diâmetro que teria o asteróide que há cerca de 65 milhões de anos provocou a extinção dos dinossauros.

Segundo a NASA , o risco de este asteróide atingir a terra é cerca de 0.0022 por cento, no entanto os senhores deputados da Sub-Comissão da Câmara de Representantes do Espaço e da Aeronáutica, acharam por bem acrescentar alguma emoção à sessão.

Para entendermos exactamente a questão, há que saber do que estamos a falar.

Um asteróide é um corpo menor do sistema solar, com uma órbita fixa, que pode ter diâmetros até várias centenas de quilómetros.

Alguns asteróides descrevem órbitas muito excêntricas, aproximando-se periodicamente do planeta Terra. As suas órbitas, ainda que fixas, podem sofrer alterações, quer através de interferências da luz solar, como através de fenómenos de interacção gravítica com as atmosferas planetárias.

O que é que tudo isto nos diz sobre esta pequena querela entre os deputados americanos e a NASA?

Há muito que ainda se desconhece sobre os corpos celestes e suas órbitas no sistema solar. mas uma coisa sabemos. Para haver risco de colisão entre um asteróide e a Terra, esse corpo tem de passar a uma distância muito pequena, o que em termos planetários, são algumas dezenas de milhares de quilómetros, o que não é o caso, ou então ter a sua órbita desviada por algum fenómeno que é impossível de prever ou impedir. E depois ainda temos de pensar que a atmosfera não existe só para decoração. A entrada de um corpo na atmosfera terrestre é seguida de uma profunda erosão do corpo em causa, que muitas vezes reduz calhaus enormes a berlindes. Estão a ver as estrelas cadentes? Aquilo é um corpo a desfazer-se, com o contacto da atmosfera...

Então estão a ver, os senhores não sabiam mesmo do que estavam a falar. "Ah e tal, o asteróide não se vai espetar contra nós devido à proximidade mas pode acontecer algo que mude esse cenário!"

Obrigada! Em princípio eu chego viva à escola todas as manhãs, a não ser que o meu autocarro se despiste ou algum maluco faça de mim o seu alvo na Segunda Circular. Em princípio não morro, mas pode acontecer...

For God's sake ! Não ficavam melhor caladinhos?

     

sinto-me: Science chick

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 19:59
link do post | comentar | Flatulências (10) | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. A probabilidade da improb...

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
blogs SAPO

.subscrever feeds