Terça-feira, 10 de Fevereiro de 2015

Sair do salto

Ai, canso-me!

Canso-me e já não tenho paciência.

Como sabem, ando na saga dos recrutamentos há alguns meses. ME-SES. E estou farta das mesmas respostas formatadas:

«Excesso de habilitações».

«Perfil não se encaixa nas nossas necessidades».

«Falta de experiência para a função».

«O seu teste de personalidade indica-nos que é uma psicopata, o seu nariz é torto e tenho medo que acabe por me roubar o emprego».

Ok, esta última ainda não aconteceu, se bem que seria uma lufada de ar fresco no meio de tanta tanga. Ah, e a minha preferida:

«(Silêncio)».

Porque muito melhor que ser alimentada a tangas é ser alimentada a nada, vazio, radio silence

A gota de água aconteceu esta semana.

No fim do ano passado fui a uma série de entrevistas para uma função numa daquelas empresas «grandes». Foram 4 entrevistas ao todo, todas elas eliminatórias. E eles iam-me chamando para a seguinte e a minha esperança ia aumentando. O salário era bom (tendo em conta que estamos em Portugal...), as condições eram excelentes, o local de trabalho era aprazível e as pessoas eram amistosas. E as minhas habilitações até não eram exageradas. Na última entrevista, fui elogiada pelos presentes à medida que me ia explicando. Houve sorrisos, uma ou duas gargalhadas, partilha de experiências.

Um dos meus melhores atributos é conseguir adaptar-me aos meus interlocutores. Ponham-me a falar com uma lesma do mar e seremos os melhores amigos ao fim de algumas horas. Saí de lá de peito cheio, a acreditar mesmo que era desta.

E esta semana recebo o e-mail. «Não foste seleccionada. Mas gostamos muito de ti por isso vamos fazer o favor de guardar os teus dados para poderes ficar na ilusão que uma dia, um glorioso dia, vamos desenterrar o teu CV e vamos receber-te de braços abertos porque tu és fixe! Pá!»

Porreiro, não é?

Podia passar os próximos dias a analisar todas as minhas palavras, movimentos e expressões. É uma cena que costumo fazer. Mas not this time. É um exercício inútil, sádico e inconsequente.

Que se lixe! É atirar para trás, esquecer. E pensar que, se calhar, até serviu de alguma coisa. Fui obrigada a passar uns dias de tailleur e saltos altos. E isso só veio reforçar o meu amor pelos meus ténis, o que é sempre meritório. Ninguém sobrevive a um apocalipse zombie de stilettos...

 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 16:28
link do post | comentar | favorito
Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 185 seguidores

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. O acessório

. O meu busto é mais bonito...

. Aquarius

. Vamos fazer amigos entre ...

. Dia 25: Saiu de casa e ai...

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
SAPO Blogs

.subscrever feeds