Quarta-feira, 18 de Março de 2009

A justiça é cega...

"Testes de ADN ilibam homem preso há 27 anos"

 

Vejam a notícia completa aqui.

 

É de processar, não é? Mas um daqueles processos mesmo à americana, tipo "dê-me trinta milhões de dólares porque escorreguei no seu chão".

tags:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 15:34
link do post | comentar | Flatulências (15) | favorito
Sexta-feira, 13 de Março de 2009

Oh mar salgado, quanto do teu sal são lágrimas de Portugal?

O PS apresenta hoje no Parlamento, um projecto de lei que visa diminuir a quantidade de sal no pão.

Ou seja, o governo vai fazer com que o fantástico pão português fique menos saboroso para que uns quantos se possam enfardar à vontade. Um pão? Qual quê? Podemos comer seis ou sete porque tem menos sal!

Parece-me bem! Já agora porque é que não decretam a anulação do hamburger no Big Mac e a diminuição do creme da bola de Berlim?

Mas estou já a avisar, se ousam tocar no Queijo de Azeitão, I'll kick some ass!

Para breve, o decreto de lei que visa transformar as terças e quintas em dia de Jogging. Seguranças pessoais opcionais.

 

 

 

 

 

 

 

(Vou tentar responder a todos os vossos comentário no fim de semana, cool? Bom FDS!)


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:36
link do post | comentar | Flatulências (19) | favorito
Segunda-feira, 23 de Fevereiro de 2009

Tão aplicadinhos que nós somos!

Fonte: www.sapo.pt

 

Hã, hã! Agora não venham cá dizer que não somos trabalhadores!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 15:53
link do post | comentar | Flatulências (12) | favorito
Quinta-feira, 19 de Fevereiro de 2009

Catch me if you can!

Começou hoje o julgamento do jornalista que atirou sapatos a Bush no Tribunal Criminal Central do Iraque. Muntazer al-Zaidi incorre numa pena de 15 anos de prisão.

 

Bem, se eu fosse contabilizar o número de objectos que já atirei a pessoas ao longo da minha vida, principalmente durante a fase pré-adolescência, o cúmulo jurídico daria uns bons 25 anos.

Claro que nenhum deles era um chefe de estado mas os objectos tinham muito mais impacto do que sapatos: calhaus, garrafas ou pacotes de leite com chocolate, colheres de pau, e sim, uma vez um sapato. Só que era uma bota da tropa do meu pai, muito mais letal do que os chanatos do jornalista. E o meus alvos eram bem mais lentos do que Bush, o que quer dizer que 4 em 5 vezes levavam com os ditos objectos em cima.

Se pensarmos bem, o que é que eu ando a fazer em liberdade? Devia estar num reformatório infantil desde os meus 2 anos, que deve ter sido a primeira vez que atirei com uma roca, ou objecto similar, a alguém.

Hello! Criminal here!

Não, ninguém me vai levar dentro! Mas também, com este sistema criminal, do que é que eu estava à espera?

Shame on you, país com leis normais, shame on you!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:38
link do post | comentar | Flatulências (2) | favorito
Quarta-feira, 11 de Fevereiro de 2009

KO

 

Então parece que os bispos portugueses vieram ontem dizer, todos contentes, que os padres vão começar a apelar ao voto contra os partidos que defendem o casamento gay, durante as suas homilias.

 

...

 

É o combate do ano:

 

Padres Católicos vs. Partido Socialista

 

...

 

Porra, estou dividida! Não consigo decidir qual deles detesto mais...

É como se, de repente, a Espanha fosse jogar contra França ou a Alemanha.


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 12:41
link do post | comentar | Flatulências (7) | favorito
Terça-feira, 3 de Fevereiro de 2009

Bóia de salvação

 

Parece que numa dessas quaisquer revistecas que há por aí, a Maya conta ao mundo o que passou para ter umas mamocas novas...

A Maya, a vidente, e as suas mamocas novas...

Pois.

E eu pergunto: who gives a shit? Que é como quem diz, quem é que no seu estado normal quer saber? Vêem por aí muitas reportagens sobre os hábitos de acasalamento das cobras cuspideiras, das surucucus, das lesmas aquáticas da fossa médio-atlântica (onde, que se saiba, não existem lesmas, não vá aparecer por aqui algum fundamentlista...)?

Desculpem lá, mas mesmo com dois litros de silicone em cada peito a Maya continua a ser um estafermo!

Não me parece que os flutuadores que ela foi enfiar debaixo da bela da glândula mamária possam fazer muita diferença.

A não ser que ela saiba alguma coisa! Querem ver que a Maya adivinhou que vem para aí algum tsunami ou um dilúvio daqueles à moda antiga?

Não vá o diabo tecê-las, acho que vou ali comprar umas braçadeiras.

 

 

Ah! Já me sinto melhor!

 

 

 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 11:54
link do post | comentar | Flatulências (14) | favorito
Quarta-feira, 14 de Janeiro de 2009

Yakusa-me de quê?

Ontem, no tribunal da Figueira da Foz, um homem cortou o dedo indicador com um cutelo após ouvir a decisão da juíza!

Após o primeiro corte, que separou o dedo da mão, o indivíduo ainda deu mais uma cutelada (sempre quis usar esta palavra) no dedo cortado, partindo-o em dois.

Quando questionado pelas razões que levaram a este estranho acto, o homem declarou que o tinha feito em forma de protesto.

...

Amigos, acabou-se a era dos cartazes, das marchas lentas e dos protestos à porta da Assembleia. A partir de agora, é a era dos Yakuza!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 11:39
link do post | comentar | Flatulências (8) | favorito
Sexta-feira, 9 de Janeiro de 2009

Olha, olha, nunca bati em ninguém! Posso trabalhar na RTP?

Ontem andava tudo meio doido com o acidente do Cristiano Ronaldo.

Os comentadores trolls só diziam que não tinham pena nenhuma e que era quase um crime alguém gastar tanto dinheiro num carro para depois o esmigalhar daquela maneira.

As rádios não falaram de outra coisa durante todo o dia, com um tom mais ou menos jocoso.

A RTP foi pela condescendência. Fiquei mesmo parva a assistir à notícia sobre o acidente no Telejornal das 20 (vídeo aqui). É que normalmente a RTP pauta-se pela excelência jornalística. Então o rapaz espeta-se, podia ter ficado todo desfeito e a RTP faz uma colagem com imagens de uma entrevista em que o rapaz diz que leva uma vida muito calma e tal e surge a voz da jornalista a dizer algo do género: Tendo em conta as imagens, não parece!

Excuse me? Será que a invejazinha também já atinge os jornalistas do canal do Estado? Ou será que na RTP são todos ases do volante? Nunca ninguém a trabalhar na RTP teve um acidente de automóvel? Será que é um factor de exclusão? "Ah, já deu um toque a estacionar? Então lamento, terá de procurar trabalho na TVI!"

Triste, muito triste! Eu não simpatizo por aí além com o Ronaldo, acho que todos sabem. Porque me parece ser um bocado descerebrado, porque tem a mania que é bonitinho e, sinceramente, eu não ia lá nem que me pagassem. Também não concordo nada com os salários pagos aos jogadores de futebol e também já o disse aqui.

Pá, mas já que ganha o que ganha, é lá com ele se compra um Ferrari ou 30 Porsche's, se os espatifa todos ao fim de dois dias ou até a sair do stand,  se logo a seguir vai comprar um igual porque afinal até gostava muito dele. Tudo isso, é lá com ele!

É que a condenação generalizada a que se assiste na comunicação social e em quase todos os anónimos que comentam aqui ou ali não se deve à velocidade do rapaz ou às possíveis causas do acidente. Deve-se ao facto de ser um Ferrari, de ele não se preocupar muito com ter dizimado um carro que custa 300 000 euros. E por ser o Ronaldo. Por ser português.

Ficamos todos inchados quando um português se dá bem lá fora mas o que sentimos cá dentro é bem diferente. Raio de povo que somos!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 10:25
link do post | comentar | Flatulências (13) | favorito
Terça-feira, 6 de Janeiro de 2009

Ponto de encontro

Portugal está cheio de Velhos do Restelo, de profetas da desgraça, de gente que critica muito mas apresenta muito poucas alternativas.

 

E parece que se reúnem todos na zona de comentários das notícias da homepage do Sapo...

 

 

tags:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 17:31
link do post | comentar | Flatulências (10) | favorito
Quinta-feira, 11 de Dezembro de 2008

Nós gostamos é dos feriados

Portugal tem mais um excêntrico. O último concurso do Euromilhões voltou a contemplar o nosso país.

O facto de Portugal ser um dos países mais premiados pelo Euromilhões é sintomático do povo que somos. Ganhamos muitas vezes porque apostamos muito e muito frequentemente.  Apesar de o povo português ser um dos mais desmotivados e descrentes da Europa, continuamos a achar que a sorte grande nos vai sorrir mais cedo ou mais tarde.

Não há um português que não queira ser um dos excêntricos do Euromilhões e eu incluo-me no lote.

A oportunidade de fortuna rápida e sem esforço agrada-nos especialmente, principalmente pelo estatuto que vem acoplado a uma quantia como a do primeiro prémio do Euromilhões. Porque ainda somos e seremos um país em que ter (muito) dinheiro tem mais importância do que ter carácter ou qualquer outra virtude de espírito. Somos e seremos o país que bajula e admira os Senhores Doutores, os Senhores Engenheiros, os Senhores Arquitectos, mesmo que depois estes não consigam emprego.

Portugal é um país deslumbrado pelo dinheiro, exibicionista, mais capitalista que as grandes potências. Tratamos mal os nossos pobres porque não os achamos à altura.

Desprezamos a classe média porque achamos que poderia fazer mais e melhor. E curvamo-nos perante as classes altas, os senhores dos Mercedes, os gestores das empresas, mesmo que eles andem durante anos a desviar fundos para engrossar ainda mais a própria bolsa. Nem os nossos ricos estão satisfeitos com o seu nível de riqueza.

Portugal, o país do desenrascanço, valoriza a riqueza sem esforço, mas numa questão esforça-se bastante: Todas as semanas os portugueses acorrem aos postos de venda dos Jogos Santa Casa e jogam. Jogam como se não houvesse amanhã, fazem-no religiosamente. Se esses mesmos portugueses pusessem o mesmo nível de empenho na sua actividade profissional, parece-me que este nosso país poderia ser muito diferente!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 11:21
link do post | comentar | Flatulências (12) | favorito
Quarta-feira, 19 de Novembro de 2008

O Banco do Portugal psicadélico

Diz o Banco de Portugal que o desemprego de longa duração está a aumentar, que em média cada desempregado anda dois anos à procura de emprego. Até aqui tudo ok.

A justificação para esse facto é que me está a dar uma comichãozita... Diz então o Banco de Portugal que isso se deve ao "generoso" regime de subsídio de desemprego do Estado...

Desculpa lá, oh Banco de Portugal, alguém te perguntou alguma coisa? Vem para aqui opinar, feito conhecedor... Bah!

Realmente o Estado português é de uma generosidade do caraças! Senão veja-se: só tem direito a subsídio quem trabalha um certo período. Acho que são 12 meses. Partindo do princípio que são 12 meses, que agora não me apetece nada ir pesquisar, se uma pessoa tiver o azar de só estar empregada 11 meses não recebe um chavo furado! No entanto, durante esses 11 meses descontou uma enormidade em IRS e Segurança Social! Para onde vai esse dinheiro? Para muitos sítios, mas neste caso, não para a pessoa que o descontou...

Todos os meses vejo voar quase 100 euros do meu ordenado, e isso só em IRS. Daqui a nove meses, se o meu patrão decidir dar-me um chuto no rabo e arranjar outra estagiária inocente, não vou ter direito a subsídio de desemprego. E porquê? Neste caso nem se relaciona com o tempo de duração do contrato de formação. É mesmo por ser um estágio. Faz parte dos contratos desses estágios não fazer descontos para a Segurança Social. Porquê? É por o estado ser generoso? Ou será já para garantir que, depois dos estágios, não lhe batem à porta milhares de estagiários que apenas são contratados durante os tais 9 meses por serem mão de obra patrocinada e como tal, mais ou menos barata? O que é que o Estado vai fazer ao dinheiro que lhe estou a pagar de IRS no fim desse contrato? Vai-mo devolver com uma fitinha vermelha e um cartão de agradecimento? O que é que o Estado faz àquelas pessoas que sempre trabalharam, que durante uma vida inteira nunca estiveram desempregados, que nunca ou muito raramente estiveram de baixa, mas que ainda assim descontaram IRS e Segurança Social todos os meses da sua vida activa? Vai o Estado oferecer uma recepção para celebrar a vida profissional desses trabalhadores, vai erigir-lhes estátuas, oferecer-lhes reformas que lhes permitam não se preocuparem mais com dinheiro, nunca mais terem de rebuscar entre os trocos para perceberem se podem comprar uma caixa de aspirinas ou duas carcaças? Se calhar o Estado não vai fazer isso...

A meu ver, os generosos somos nós!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:55
link do post | comentar | Flatulências (17) | favorito
Sexta-feira, 14 de Novembro de 2008

E galinhas, também?

Estou-me a sentir um bocado "left out".

É que por mais que eu queira, por mais que eu tente, não consigo perceber a cena dos ovos!

Então agora todos os dias andam uns quantos miúdos a atirar ovos a qualquer carro que tenha a ver com o Ministério da Educação?

Ai, no meu tempo não era nada assim! Nós atirávamos com palavras de ordem, mostrávamos o rabo, nem todos sabiam o que lá estavam a fazer mas gritavam na mesma, mas nada de ovos!

E porquê ovos? Eu não sei como é convosco mas eu associo ovos ao Carnaval.

Sabem como é, levamos com um ovo na tromba, ficamos com a clara entranhada no cabelo, quando seca parece que um mega pássaro nos cagou em cima, a gema enfia-se nos ouvidos, cola-nos as pestanas umas às outras e no fim dessa esterqueira toda não podemos levar a mal! o que vale é que a seguir vêm os balões de água para suavizar um bocado a coisa...

Mas onde é que eu ia? Oh sim, se não é para levar a mal, porque é que os atiram? Não estamos no Carnaval. Pois, está frio, mas a menos que eu tivesse apanhado uma tosga tão grande que nem me lembrasse do Natal, parece-me que ainda não estamos em Fevereiro. Ou será que fora das festividades do Carnaval atirar ovos já tem uma conotação muito mais lixada?

Pá, pelo sim, pelo não, o próximo adolescente que se aproximar de mim com um ovo ou qualquer produto daí derivado leva um novo arranjo dental para casa. Palavra!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 10:20
link do post | comentar | Flatulências (16) | favorito
Terça-feira, 28 de Outubro de 2008

O tamanho importa!

Anda tudo em polvorosa com o ginecologista que andava a levar demasiado a sério a questão da palpação da paciente. Isto porque apesar de ter sido condenado por duas das três acusações que pendiam sobre si, o clínico continuava a dar consultas numa unidade pública de saúde e no seu consultório privado.

Depois de o caso ter sido noticiado nos jornais, mais pacientes vieram dar a cara, acusando o clínico do mesmo.

Então o senhor veio-se defender. Diz que é fisicamente impossível ter cometido os factos de que o acusam, devido à altura da cadeira de observação e por conduzir as observações sentado. Mas ressalva, mesmo que estivesse de pé, não conseguiria atingir a vagina das queixosas, devido à bandeja dos fluidos, pois para tal era necessário ter um "pénis grande".

...

...

...

Sou só eu, ou é a primeira vez que ouvem um homem admitir que é pouco abonado, com esta facilidade?

 

"Oh, pois, eu não podia ter feito isto porque tenho uma micro-pila! Na verdade, é tão pequena que só consigo ter satisfação sexual com as raparigas indefesas que por cá aparecem. É que é mesmo minúsculo, se eu não soubesse dizia que era uma borbulha!"

 

Eu sei o que é que lhe fazia com a bandeja dos fluidos! Ai sabia!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 20:30
link do post | comentar | Flatulências (10) | favorito
Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

O elefante

A duas semanas das eleições presidenciais norte-americanas, a vantagem de Barack Obama sobe para oito pontos.

À medida que os republicanos endureciam comentários e críticas, rasando mesmo o mais imundo dos chãos, os democratas iam subindo. Não deixa de ser um sintoma interessante. Talvez os americanos estejam a  ficar fartos da escandaleira. Ou talvez não queiram uma Sarah Missile na linha de sucessão imediata à "cadeira". Sim, porque McCain não parece propriamente robusto. Mais parece que qualquer brisa o vai deitar abaixo...

Desde o último grande debate entre os dois candidatos, os ânimos em ver Obama à frente da nação americana foram substancialmente refreados. Talvez tenha sido toda aquela conversa sobre apanhar o Bin Laden.

Parece-me que as pessoas se perguntaram instantaneamente se haveria assim tantas diferenças entre os dois lados.

Eu não acho que Obama seja doido. Não me parece que o homem esteja obcecado em apanhar o Bin Laden, ao contrário do que deixou transparecer. Acho é que, e McCain nisso não difere, havia necessidade de desviar as atenções da grave crise económica. Uma das melhores maneiras de desviar a atenção de um assunto que prende todos os interesses num determinado momento, é apontar para o céu e gritar "elefante". Bin Laden há-de ser para sempre o elefante voador da América. E neste caso, uma das mais eficazes manobras de diversão.

Porque é que havia tanta necessidade de apontar baterias para outro lado? Porque nenhum dos dois candidatos fazia a mais pequena ideia de como resolver o problema da falência iminente.

E isso, é muito mais preocupante do que a possibilidade de o Obama ser um doido obcecado por outro doido!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 14:20
link do post | comentar | Flatulências (4) | favorito
Sexta-feira, 10 de Outubro de 2008

A cadeira do poder

Por esta altura já toda a gente sabe que o diploma sobre o casamento gay vai ser hoje chumbado pela Assembleia da República.

 

Também já toda a gente sabe que dentro da maioria PS, há alguns elementos que gostariam de votar "sim" mas não o fazem por causa da tal questão da disciplina de voto partidária.

O que algumas pessoas podem ainda não saber é a razão para o diploma ser rejeitado, quando o que nos transmitem é que até são a favor e tal.

Então vejamos, as próximas eleições para o governo já não estão assim tão longe como isso.

Sócrates quer ganhar as próximas eleições, obviamente.

Sócrates não quer perder os votos de milhares de portugueses do interior do país, claramente com a mente mais fechada a este tipo de questões, da faixa etária mais velha, idem, daqueles que são tacanhos, dos homofóbicos, dos gays não assumidos, que levam o closet case ao ponto de quase parecerem homofóbicos...

É uma data de gente!

E Sócrates quer os votos dessa gente toda, ainda que não realidade não se aproximasse deles nem com 20 pares de luvas de látex...

Provavelmente, se o PS ganhar as próximas eleições, teremos a lei aprovada no primeiro ano de legislatura, até porque o facto de os espanhóis já o terem feito, acaba por ser um bocadinho um elixir de coragem.

Mas principalmente porque se Sócrates fizer aprovar uma lei como esta no primeiro ano da próxima legislatura, os tais portugueses de que vos falei, terão mais de três anos para esquecer esse facto e quando confrontados com a urna de voto mais uma vez, é bastante provável que já tenham perdoado a Sócrates o seu pequeno "pecado".

 

A cadeira está quentinha, não é Zé? Confortável!

 

 

Adenda: Pouco depois de ter postado este texto, fiquei com o peso na consciência de ter dito que só as pessoas acima não quereriam ver aprovada esta lei.

Na verdade, há muita gente inteligente que tem reservas sobre a aprovação da lei, devido sobretudo à questão da adopção de crianças pelos casais homossexuais. Entendo essas reservas e respeito.

O que não posso respeitar, são as opiniões que tenho tido a oportunidade de ler desde manhã, em que apelidam os homossexuais de "piores que animais", "aberrações", em que dizem que deviam ser todos expulsos do país, porque somos um estado judaico-cristão e tal...

Meus amigos, caso ainda não tenham reparado, Portugal é um estado laico. Se querem ser judaico-cristãos é lá convosco, mas não nos enfiem a todos no mesmo saco. Felizmente, há muito tempo que as leis não andam a reboque da igreja ou parece-me que ainda haveria pessoas queimadas na fogueira em praça pública...

Depois, metam uma questão na cabeça: a homossexualidade existe em diversos sectores do Reino Animal desde o início dos tempos! Não é nada de estranho e quem tenha o mínimo de cultura ou tenha assistido a qualquer aula do primeiro ano de quase todos os cursos das faculdades de letras, psicologia, etc, etc, sabe disso.

Na Antiga Grécia, pátria dos pensadores e filósofos mais dotados que já conhecemos, a homossexualidade era vista como prática normal, uma vez que o amor apenas podia surgir entre duas pessoas iguais. Como as ladies não iam à escola, não podiam ser consideradas iguais aos homens e todos eles andavam com rapazinhos que ensinavam.

Isto tudo para chegar onde?

Tempos houve em que foi prática comum e ninguém andava à batatada por causa disso. Ninguém ofendia, espancava ou perseguia os homossexuais.

Sabem o que vos digo? Parece que quanto mais evolui o homem, mais limitado fica. Isto de a nossa capacidade cerebral aumentar cada vez mais pode não ser bom...

já deve haver gente a ficar com o cérebro esmagado contra as paredes do crânio!

 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 09:59
link do post | comentar | Flatulências (15) | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. E as dos figos? Isso é qu...

. BBC Vida Selvagem

. E não é para apanhar peix...

. Naaaaaaa!

. Somos grandes!

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
blogs SAPO

.subscrever feeds