Quinta-feira, 30 de Outubro de 2008

A Maria de Lurdes

Temos que pensar quais poderão ser as consequências das reformas que o ensino em Portugal atravessa.

Muitos de vocês ainda se devem lembrar da polémica com o exame de matemática deste ano. Parece que lá para o meio havia uma questão que estava ao nível do nono ano. Relembro que os exames nacionais se efectuam no 12º ano para acesso à universidade e conclusão do ensino secundário. Na altura, Maria de Lurdes Rodrigues veio dizer que não era ela que fazia os exames e que qualquer facilitismo não lhe podia ser imputado a ela, Ministra da Educação. Pois.

Os resultados desses mesmos exames começaram a ser revelados ontem e, surpresa das surpresas, verificou-se uma melhoria significativa da generalidade dos resultados. Será que os nossos alunos, de um ano para o outro, ficaram extremamente aplicados e sofreram um boost de inteligência? Duvidoso, digo eu.

De resto, as melhores escolas continuam a ser as privadas. Parece que para garantir um lugar nas melhores faculdades do país e ter um nível de ensino compatível com esse objectivo, temos que pertencer a uma qualquer elite...

Desenganem-se aqueles que pensam que esta ambivalência se fica pelo secundário. Se bem que depois é diferente. Como? A minha experiência com o ensino superior mostrou-me duas vertentes. Se, por um lado, os alunos mais fracos (que os há; gente que mal sabe escrever obtém licenciaturas ao fim de 3 ou 4 anos) vão passando, desde que tenham alguma paciência e muito poder de encaixe, os melhores serão classificados consoante frequentem uma faculdade pública ou privada.

Tive uma professora que dava notas baixas, corria turmas inteiras a 10, 11 e 12 e lá dava um 15 ou um 16 para disfarçar. Toda a gente sabia que era assim e não havia muito a fazer. Até que descobrimos que essa mesma senhora dava aulas na Católica e aí já não se coibia de dar 19 e 20 a uma série de alunos. A questão que tem que ser colocada é a seguinte: Será que os alunos da Católica eram assim tão diferentes de nós? Será que numa turma inteira não haveria ninguém merecedor de um vinte?

Só pode haver duas respostas a este tipo de interrogações:

 

- Os alunos da Católica são aqueles que frequentavam privadas no secundário e estão habituados à exigência do ensino e a obter classificações elevadas, ou

 

- É a Católica! Os pais não pagam balúrdios para os filhos saírem com média de 13 e para não ocuparem os melhores cargos que o país tem para oferecer.

 

Se calhar, o mais correcto é uma mistura destas duas ideias.

 

Mas a coisa não fica por aqui. Parece que agora os senhores do Ministério da Educação, os mesmo que diziam que não andavam a facilitar a vida a ninguém, querem acabar com os chumbos no ensino obrigatório. Os parâmetros desta ideia ainda permanecem por explicar.

 

A consequência imediata disto só pode ser uma. De facto, teremos muito mais pessoas com o 12º ano. Mas depois, se calhar, ter o 12º ano vai deixar de ter qualquer tipo de importância.

Depois, se calhar, as pessoas a quem foi facilitada a vida académica até então, aproveitam os exames nacionais facilitados e entram em faculdades facilitistas. Alguns vão chumbar repetidamente quando aí chegarem, contribuindo para os cofres do estado com as propinas equivalentes aos anos que chumbaram, outros vão passando até adquirirem o canudo e estarem prontos para engrossar a força trabalhadora.

Mas que força trabalhadora será essa? Porque, se calhar, estamos a falar dos líderes, dos administradores, dos gestores de amanhã. 

Será que queremos que os nossos destinos sejam decididos por uma data de gente a quem a vida toda foi entregue numa bandeja?

Se calhar não. 

 

 


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 23:54
link do post | comentar | Flatulências (12) | favorito
Terça-feira, 21 de Outubro de 2008

O elefante

A duas semanas das eleições presidenciais norte-americanas, a vantagem de Barack Obama sobe para oito pontos.

À medida que os republicanos endureciam comentários e críticas, rasando mesmo o mais imundo dos chãos, os democratas iam subindo. Não deixa de ser um sintoma interessante. Talvez os americanos estejam a  ficar fartos da escandaleira. Ou talvez não queiram uma Sarah Missile na linha de sucessão imediata à "cadeira". Sim, porque McCain não parece propriamente robusto. Mais parece que qualquer brisa o vai deitar abaixo...

Desde o último grande debate entre os dois candidatos, os ânimos em ver Obama à frente da nação americana foram substancialmente refreados. Talvez tenha sido toda aquela conversa sobre apanhar o Bin Laden.

Parece-me que as pessoas se perguntaram instantaneamente se haveria assim tantas diferenças entre os dois lados.

Eu não acho que Obama seja doido. Não me parece que o homem esteja obcecado em apanhar o Bin Laden, ao contrário do que deixou transparecer. Acho é que, e McCain nisso não difere, havia necessidade de desviar as atenções da grave crise económica. Uma das melhores maneiras de desviar a atenção de um assunto que prende todos os interesses num determinado momento, é apontar para o céu e gritar "elefante". Bin Laden há-de ser para sempre o elefante voador da América. E neste caso, uma das mais eficazes manobras de diversão.

Porque é que havia tanta necessidade de apontar baterias para outro lado? Porque nenhum dos dois candidatos fazia a mais pequena ideia de como resolver o problema da falência iminente.

E isso, é muito mais preocupante do que a possibilidade de o Obama ser um doido obcecado por outro doido!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 14:20
link do post | comentar | Flatulências (4) | favorito
Segunda-feira, 28 de Julho de 2008

Línguas democráticas

Às vezes escrevo certas coisas e arrependo-me... Não que tenha algum tipo de receio de represálias, até porque não há grande coisa que possam fazer ao meu eu virtual. Mas não sei, sempre fui muito bem educadinha e por princípio não costumo dizer ou escrever nada com o propósito de magoar alguém.

Mas diga-se a verdade: sou bastante crítica das coisas que me rodeiam e não hesito em expor o meu ponto de vista mesmo que ele possa ser algo indigesto para alguns.

Nestas férias, aproveitando algum tempo livre, pude voltar a ler como deve ser. Livros, muitos, de forma quase compulsiva mas também jornais e revistas que nos últimos tempos mal folheava.

E apercebi-me: qualquer tipo de sentimento de culpa que eu possa vir a ter em relação a algo que escrevo é absolutamente infundado. Meus amigos, perto da maior parte dos nossos fazedores de opinião, eu sou um cordeirinho. E nem sequer chego à categoria de ovelha negra.

Senão, vejam o que escreveu Pacheco Pereira na última edição da revista Sábado, a propósito de Luís Filipe Menezes e dos seus ataques à liderança do PSD, pouco tempo depois de dizer que nunca o faria:

 

"Ninguém esperava outra coisa de alguém que se demitiu à tarde (...) e na mesma noite já preparava o regresso com ambiguidades em Sintra. Acho que fez bem e prestou mais um serviço a Manuela Ferreira Leite: lembrar e mostrar a imensa, abissal diferença entre aquele intervalo psicótico de seis meses e a vida normal de um partido político."

 

Estão a ver? Por muita doidice que eu escreva, acho que nunca insinuei que alguém teria distúrbios mentais. Pelo menos alguém que toda a gente conheça.

Mas vamos admitir: digam lá que não gostaram de ler isto?

Está na moda, insultar todos aqueles que nos desagradam profundamente, mas com classe, quase veladamente!

Ah! Democracia! Como nos afias as línguas!


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 14:40
link do post | comentar | Flatulências (8) | favorito
Sexta-feira, 4 de Julho de 2008

Em casa de Ferreira espeto de pau

Pronto, já está!

Acho que os últimos dois testes correram muito bem! Senti uma certa nostalgia ao entregar a folha de teste e pensar que era a última vez que ia ter uma coisinha daquelas na mão (porque para o ano é só a tese). Hoje foi o último dia em que senti o friozinho na barriga antes de ver as perguntas. Isto já partindo do princípio que fico por aqui e não sigo para doutoramento. Neste momento não sinto a menor inclinação para isso. Não digo que não, se para o ano as coisas correrem excepcionalmente bem. Mas por enquanto, celebro o fim da parte curricular do mestrado sem pensar em mais nada! Daqui a uns dias começo a procurar trabalho a sério e daqui a umas boas semanas começo a fazer o trabalho final, mas por enquanto só consigo pensar em férias, em descanso, em dormir, em fazer todas as coisas que não faço desde há quase um ano. Aproxima-se um ponto de viragem e estou muito mais calma em relação a isso do que seria de esperar.

 

No meio de toda esta excitação de fim de semestre meto-me dentro do carro e ligo a rádio. Primeiro pensamento que me ocorre: "Em termos de blog não vou ter férias mesmo que quisesse." É  que uma pessoa ouve certas coisas e não há como não comentar!

Então, a sô dona Manuela Ferreira Leite vem dizer que é contra o casamento entre homossexuais porque o objectivo da família é a procriação? (pausa para deixar o choque instalar-se!)

E pronto, com isto lá se começou a desmoronar a imagem de salvadora do PSD que a mulher andava a construir...

Ferreira Leite transformou-se, em poucos segundos, no Homo Erectus político! 

Mas pronto, sempre serviu para clarificar umas quantas coisas. A santa trindade de Ferreira Leite: défice, procriação e valores morais inabaláveis! Podia ser muito pior, convenhamos! Escondam-lhe as Bíblias, senão é o fim!  

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 18:18
link do post | comentar | Flatulências (18) | favorito
Segunda-feira, 30 de Junho de 2008

Conhecimento informado

O CDS-PP apresentou uma proposta de lei que visa implementar o ensino de suporte básico de vida no 9º ano de escolaridade. Ou seja, ensinar miúdos de 15 anos a fazer reanimação cardio-respiratória.
A ideia não é exactamente má. Aliás, seria excelente se todos os cidadãos tivessem conhecimento suficiente para manter activas as funções básicas de vida enquanto os profissionais não chegam ao local de um acidente. Como também seria excelente se todos nós andássemos com colares cervicais e macas atrás.
Todos os meus amigos do secundário seguiram carreiras na área da saúde. Podemos dizer que eu fui a ovelha negra ao escolher letras. Tenho também outros amigos que, embora não tenham feito faculdade na área da saúde, fizeram cursos profissionais de socorrismo. E no entanto essas pessoas hesitam em utilizar os seus conhecimentos em caso de acidente. Porquê? Porque são cada vez mais frequentes os processos resultantes de pessoas que tentam ajudar mas por não disporem de equipamento adequado, como é o normal quando paramos para auxiliar alguém em caso de acidente na estrada, acabam por danificar funções motoras do acidentado. É cada vez mais frequente pessoas que tentam ajudar serem depois processadas judicialmente pelos familiares da vítima. Se isso resulta de mesquinhez já não podemos avaliar tão bem, mas a verdade é que isso acontece.
Ou seja, conhecimento é sempre bem-vindo. Mas terá de ser sempre conhecimento informado. Não vamos querer ter miúdos de 15 anos no banco dos réus por terem provocado tetraplegias a torto e a direito. Seria tudo tão bonito e tão perfeito se pudessemos ser todos médicos bem equipados, se pudéssemos todos andar por aí a salvar todas as pessoas em apuros e todos os gatinhos em cima de árvores. Mas não vivemos num conto de fadas. Não contem com que algum dia possamos vir a viver...


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 03:10
link do post | comentar | Flatulências (16) | favorito
Sábado, 14 de Junho de 2008

O fim da aventura europeia?

Este país anda impróprio para cardíacos...

Durante a paralisação dos camionistas vimos coisas impensáveis para um país do chamado "Primeiro Mundo".

E nem falo do que se passou com os piquetes, com atropelamentos, ameaças claras, sem preocupação de se manterem veladas perante as câmaras de TV, apedrejamentos, tubos de gasóleo cortados, fogueiras feitas de pesados, camiões cisterna com escolta policial e dezenas de polícias de choque prontos a molhar a colher na sopa.

Falo do desespero, ainda que momentâneo, que alguns portugueses viveram ao longo destes dias. Filas imensas em gasolineiras na esperança de conseguir atestar o carro, para ir buscar os miúdos à escola, para irem trabalhar no dia seguinte. Nem o jogo de Portugal demoveu as centenas de carros que almejavam por algumas gotinhas do precioso líquido. Tudo para, em muitos casos, a poucos metros da bomba, vir o aviso de que já não havia nada e que não voltaria a haver até nova escolta policial trazer mais um cisterna ou até os camionistas decidirem voltar ao trabalho. Naquelas em que ainda havia algum combustível, chegou o racionamento, com dez euros de tecto máximo de abastecimento.

Nunca vi tanta gente nos supermercados, com carros tão cheios e rostos tão apreensivos. Uma senhora guiava dois carrinhos, um deles só para levar leite, ao mesmo tempo que em unidades de produção leiteira, esse mesmo leite era deitado fora por não haver condições de armazenamento.

Durante os três dias de paralisação centenas de quilos de alimentos pereceram dentro dos camiões que os deviam levar ao destino, como já tinha acontecido com as centenas de quilos de peixe deitados fora nas lotas durante a greve dos pescadores.

Algumas questões ficaram bastante claras no meio de todo este caos: a primeira é que certos sectores de que depende a economia podem de facto mergulhar um país na confusão e levar-nos a cenários próprios de guerras civis, mais ou menos graves. A segunda é que o governo cedeu porque teve receio de usar da força, de ser considerado anti-democrático mas também porque, se calhar, tem a consciência pesada. A contínua subida do preço dos combustíveis vai acabar por levar à falência muitas pequenas e médias empresas e vai, invariavelmente, trazer de volta a fome a casas onde ela não se faz sentir normalmente. E José Sócrates, ainda que pareça algo alheado de toda esta crise em escalada, sabe disso.

No meio de tudo isto, o futebol ia mantendo alguns ânimos mais ou menos serenados. Até que se descobriu que Scolari vai para o Chelsea. E aí, um pouco por todo o lado, caiu o carmo e a trindade. Porque em conjecturas negativas até a mais insignificante das coisas adquire proporções catastróficas, a saída de Scolari no final do Europeu afigura-se a muitos como uma traição, um enorme obstáculo a ultrapassar na corrida para ganhar o caneco.

A estocada final (será?) surgiu hoje por intermédio dos irlandeses. Não é que os gajos chumbam o tratado de Lisboa? Andava já Sócrates a ter sonhos molhados com a hipótese de se perpetuar o nome da nossa capital nos anais da política europeia e vêm os irlandeses puxar-nos o tapete. Os tais cujo país tem uma das maiores taxas de desenvolvimento da União Europeia. Pelos vistos também andam lixados com alguma coisa. E vai daí, 'bora lá demonstrar o nosso descontentamento através das urnas, colocando a Europa à beira de um ataque de nervos.

Numa altura em que andamos todos histéricos com a pseudo-crise dos Estados Unidos e com as consequências mundiais que daí poderão advir, afinal a Europa anda a dinamitar os próprios alicerces. Como que para provar que não precisamos da ajuda de ninguém para nos enterrar.

Sócrates veio classificar o "Não" irlandês como uma derrota  pessoal.

Oh homem, então não achas que já andamos com poucas coisas em mãos para ainda andares a dizer essas coisas? Partilha lá a derrota desta vez que precisamos de ti com cabecinha liberta para resolver o que se avizinha. É que parece que agora o palco é dos taxistas e dos agricultores. Porque como em tudo, uma vez feita uma concessão, terão de vir muitas mais atrás. E nós que estávamos a recuperar tão bem do défice! Pois, parece que por estes dias se dá mais importância a ter comida na mesa do que à variação dos valores do défice. 

Porque será?

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 01:42
link do post | comentar | Flatulências (20) | favorito
Quarta-feira, 21 de Maio de 2008

Entretenimento

Assistir ao debate quinzenal da Assembleia da República é sempre uma experiência enriquecedora. Nem que seja para nos apercebermos que Sócrates aprendeu uma palavra nova. Perdi a conta à quantidade de vezes que o nosso PM disse "demagogia" ou derivados dela. Populismo e Calvinismo também constam do reportório de repetições de Sócrates.

Mas o que o poderá ter irritado a este ponto?

Houve alguém que teve a ideia de sugerir que, já que 60% do que pagamos pelos combustíveis é imposto, o governo até podia reduzir o imposto sobre os combustíveis enquanto não se resolve a situação de outra maneira. E sabem o que isto é? Segundo o nosso PM é demagógico.

Pois...

Acho que vou passar a atestar o depósito de demagogia. Pode ser que aumente o rendimento do meu pópó...

 

Adenda: E para coroar este dia, a partir da meia-noite, o gasóleo e a gasolina aumentam outra vez na Galp e na BP... Se isto não é gozar connosco, não sei o que será!

CARTEL, CARTEL, CARTEL.


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 18:25
link do post | comentar | Flatulências (21) | favorito
Sexta-feira, 18 de Abril de 2008

E ao sexto mês, ele descansou

Luís Filipe Menezes anunciou que vai pedir ao Conselho Nacional a convocação de eleições directas para o próximo dia 24 de Maio.

Ao sexto mês de liderança do PSD, diz-se farto da guerrilha interna, concentrada em derrubá-lo desde as primeiras horas após a sua confirmação no lugar.

Pá, entende-se, não é? Para além de estar constantemente a levar com bocas, o homem ainda tinha que fazer oposição a José Sócrates. Como é que um partido encostado à direita faz oposição a um partido encostado à esquerda com políticas de direita?

Corta-lhe completamente as asas. Como é que se critica uma coisa que fazíamos igual?

"Ah, discordo do senhor Sócrates porque o meu fato é mais bonito do que o dele!", "Ah, discordo do senhor Sócrates porque o after-shave dele irrita-me as mucosas nasais!" Pois...

 

No meio disto tudo, claro que ainda tinha que surgir algo para nos fazer rir mais. Alberto João Jardim vem comentar a actual situação do PSD com a seguinte frase:

 

"(...) eu pairo por cima dessas trapalhadas todas do Continente."

Não estou a ver! Como é que um homem daquela envergadura paira? Posso estar a analisar mal a coisa, mas para pairar não será necessária alguma graciosidade?

Bem, e daí, um Boeing 747 também pesa umas boas 400 toneladas e anda lá em cima...

 

 

sinto-me:
tags: ,

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 22:26
link do post | comentar | Flatulências (18) | favorito
Quarta-feira, 20 de Fevereiro de 2008

As minhas condolências... aliás, parabéns!

Hoje, o nosso caro governo faz três anos!

Três anos desde que Sócrates governa as nossas vidas! Gostava de lhe oferecer algo, humildemente, na minha capacidade de parvinha que o ajudou a eleger e lembrei-me de uma canção!

Alguém tem por aí a marcha fúnebre?

sinto-me: Cool

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 12:23
link do post | comentar | Flatulências (22) | favorito
Terça-feira, 19 de Fevereiro de 2008

Intestino sem gases

Quando eu pensava que o Sócrates já tinha sido chamado de tudo, vem o Luís Delgado dizer, na Sic Notícias, que o homem é autista...

Se não viesse de quem vem, até me aprazia dizer umas coisitas, mas como é assim...

O nome Delgado deve ter alguma coisa a ver com o intestino. Mesmo quando tenta dizer alguma coisa de jeito, só sai merda! 

 

sinto-me: enjoada

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 03:04
link do post | comentar | Flatulências (12) | favorito
Quinta-feira, 10 de Janeiro de 2008

Como voar em Alcochete

Depois de inúmeras trocas de galhardetes, gafes para todos os gostos e indisposições várias, o governo lá decidiu que o aeroporto vai para Alcochete, após o parecer do LNEC que aponta esta localização como a melhor do binómio Alcochete-Ota.

Por mim tudo bem! Sempre disse: Desde que não seja na Reboleira, acho bem!

 

Mas afinal porque é que uma questão aparentemente tão banal inflamou os espíritos da nação durante meses a fio? Pá, não devemos ter mesmo muito que fazer. Ou então estamos armados em interessados. Temos que ter opinião sobre tudo. "Desculpe Sr. Doutor, mas se me vai operar, exijo que utilize as luvas cor-de-rosa e não as brancas!"

 

No meio disto tudo, os nossos governantes estão a tentar sair de fininho! É interessante como Sócrates se agarrou ao relatório do LNEC como se fosse a tábua de salvação! Aposto que se dissesse que o aeroporto ficava bem no topo da torre Vasco da Gama, lá teríamos nós de inventar inovadores técnicas de construção para levar a cabo tão estranho empreendimento. 

Cada vez mais me parece que vivemos na terra do Tudo-Pode-Acontecer! "Não percam o próximo episódio, porque nós também não!"

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 20:04
link do post | comentar | Flatulências (15) | favorito
Quarta-feira, 14 de Novembro de 2007

Bem mandado! Finalmente!

Agora é que foi: estalou o verniz, entornou-se o caldo e outras expressões feitas de que se lembrem!

O senhor Roger Knapman , eurodeputado britânico de extrema-direita veio, de certa forma, validar as declarações de um seu assistente que, em resposta escrita a uma cidadã britânica, disse que "o sistema judicial português tem um processo de interrogatório em que as pessoas são denunciadas como suspeitas sem qualquer prova" e ainda que "é importante ter em conta que Portugal não tem uma verdadeira história de direitos dos cidadãos, liberdades ou democracia". Mais acrescentou que  "durante muito tempo não houve democracia em Portugal" e que "o sistema judicial não mudou nos últimos 30 anos", havendo recorrentes histórias de corrupção no seio da PJ.

Face a tudo isto, Knapman veio desdramatizar a situação, dizendo que as citações foram retiradas do seu contexto pelos jornais ingleses mas desculpou o seu assistente ao dizer que o estatuto de suspeito do sistema judicial português significa ser "parcialmente culpado".

Coitado, tanto defeito numa só pessoa! É de extrema-direita, é burro que nem uma porta, ao ponto de não perceber o que significa ser "suspeito" e nem sequer sabe desculpar-se convenientemente. É que isso que está aí em cima, é uma parvoíce seja em que contexto for...

O incidente poderia ter ficado por aqui, por um parolo mandar umas bocas foleiras às nossas instituições policiais mas felizmente, para grande êxtase meu, não ficou! Estamos à beira de uma crise diplomática com os ingleses. Porquê? Porque os nossos eurodeputados não se ficaram.

E no meio disto, tenho um novo herói: Miguel Portas. Posso nem sempre estar de acordo com ele mas o homem esteve muito bem, hoje! Mas já lá vamos.

Edite Estrela, eurodeputada socialista apontou que as acusações vêm de "um partido que é contra a Europa e de um assessor que tem um passado duvidoso", aludindo ao afastamento do assessor de Knapman , devido a um escândalo de índole sexual, com uma jovem de 17 anos.

Já o social-democrata Carlos Coelho, lembrou que "A pessoa que vem falar em independência dos tribunais, fazendo acusações inqualificáveis, é a mesma que se recusa a aceitar a Carta de Direitos Fundamentais europeia".

Por fim, de volta a Portas. Temos uma relação de altos e baixos. Ainda que nem sempre concorde com o que diz, Portas, o Miguel, dá-me gosto de ouvir. Ao contrário do Louçã, que só me apetece espancar com um saco de laranjas.

Então o Miguel apelidou as acusações de "imbecis" e relembrou que a polícia inglesa não pode vir falar de amadorismos nem de incompetências , quando a Scotland Yard abateu a tiro um cidadão brasileiro porque achavam que ele era um terrorista, ah e tal, porque sim... TAU!!!

Miguel, curvo-me a teus pés! Que tiro certeiro! Mais rápido que a própria sombra, o primeiro político que poderia ser também um herói de banda desenhada. Lindo!

Mas esperem aí!  E se estivermos a perceber mal? Se for mais um exemplo do estranho humor britânico? Como o exemplo que se segue:

                           

Perceberam a piada? Pois, o problema é esse! Eu também não!

 

sinto-me:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 14:23
link do post | comentar | Flatulências (14) | favorito
Terça-feira, 13 de Novembro de 2007

Como desperdiçar tempo e dinheiro em telefonemas:

Uma sondagem feita aos eleitores australianos, a apenas duas semanas das eleições gerais, demonstra que 34% preferia ver nu o líder da oposição trabalhista, Kevin Ruud e apenas 16% gostava de ver despido de trajes, o actual primeiro-ministro, John Howard .

Face a isto, só tenho uma pergunta: 

Mas quem é que se lembra de perguntar uma coisa destas?

E nós, entre o Sócrates e o Menezes, quem é que queríamos ver nu?

70% das pessoas responderiam: " Não há alínea c)?"

25% responderiam: " Quem são esses?"

4%, residentes em Cascais, responderiam: " Mal por mal, o Santana!"

E o Marques Mendes responderia: "Num espeto?!!"

sinto-me:
tags:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 00:06
link do post | comentar | Flatulências (26) | favorito
Sexta-feira, 19 de Outubro de 2007

PS + PSD = 1

Hoje, Luís Filipe Menezes, reuniu-se com a UGT e com a CGTP, nas sedes destes dois sindicatos. No final, Menezes declarou que o PSD e os sindicatos têm alguns objectivos em comum.

Já Sócrates levou com cerca de 200 000 pessoas em manifestação, ontem, na zona do Parque das Nações, onde decorreu a cimeira informal de Chefes de Estado e de Governo da União Europeia.

Há aqui uma certa confusão. Da última vez que confirmei, o PSD é centro direita e o PS, centro esquerda! Oh pá, alguém tem que os avisar! Eles enganaram-se! É que o Menezes anda a piscar descaradamente o olho aos sindicatos e o Sócrates parece ter encontrado nova cor política!

Como um destes dois partidos é sempre eleito a cada nova eleição (passe a redundância), e as ideologias de um, num ano, são iguais às ideologias do outro, no ano seguinte, parece cada vez mais, que o governo é sempre o mesmo! E que a oposição é sempre de esquerda! Tenho de colocar uma fotografia do Sócrates ao lado de uma do Menezes para confirmar se não são a mesma pessoa! Já alguém os viu juntos?!     Hum....

 Continuo com dúvidas!                     

 

sinto-me:
tags:

publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 20:49
link do post | comentar | Flatulências (8) | favorito

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim

.pesquisar

 

.Maio 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6

7
8
9
10
11
12
13

14
15
16
17
18
19

21
22
23
24
25
26
27

28
29
30
31


.posts recentes

. Em Belém nada de novo

. À esquerda o que é da esq...

. A Fénix da Lapa

. Got milk?

. A vitória do partido nada

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
blogs SAPO

.subscrever feeds