Sábado, 22 de Junho de 2013

Hoje ou amanhã

Lembram-se de como era quando éramos miúdos?

Conseguem lembrar-se?

Como todas as possibilidades estavam em aberto?

Podíamos escolher o caminho. E o caminho parecia tão risonho, soalheiro. Tudo ia correr bem, íamos ter um impacto no mundo como nunca antes visto. Íamos acabar com as guerras, com a fome, descobrir a cura para o cancro e nunca, mas nunca teríamos de nos preocupar com dinheiro, horários, reuniões, aparências, conversas miudinhas… Nós íamos fazer a diferença!

E depois, vem a realidade. O trabalho que parece idílico mas que no fim não corresponde às nossas expectativas. Promete e acaba por dar tão pouco. Muito menos que aquilo que merecemos, muito menos que aquilo para o qual trabalhámos durante uma infindável vida académica. Que a única coisa que faz é colocar-nos um mísero montante na conta ao fim do mês. Que não nos permite sonhar porque não nos permite sobreviver mais do que esse mesmo mês. Que nos dá a confiança para construir para, em última análise, nos prender. Que nos submete a realidades que sabemos que não podem ser as nossas. Que nos suga, nos impede de ter reação. Sabem do que falo?

E quando esse trabalho, esse emprego, desaparece? Não porque não sejamos os melhores mas porque não temos as melhores influências, porque o nosso talento e a nossa capacidade mirram perante o sobrinho, o familiar ou o amigo? Sabem do que falo?

Quantos de nós renunciamos aos sonhos para alcançar aquilo que é exigido? Quantos de nós não fazemos aquilo que nos corre no sangue, que nos completa, que nos preenche o código genético em prol de correspondermos à imagem que os outros têm de nós? Ao protótipo.

E para quê? Para sermos tratados como produtos descartáveis? Para passarmos por estágios, períodos de experiência, contratos com e sem termo e, no fim, por despedimentos coletivos? Por torturas psicológicas, desconsiderações, faltas de respeito. Para nos dizerem, como ou sem palavras, que por muito bons que sejamos, haverá sempre alguém na fila à nossa frente. Porque somos demasiado letrados e, claro, demasiado caros? Porque não nascemos na família cujo nome nos garanta emprego?

Este é o retrato da minha geração. Poderia ser o meu. Foi o meu.

É também o retrato do país que se afoga em calmantes e antidepressivos só para aguentar o dia. Para aguentar o emprego que faz pouco mais do que roubar tempo ou para aguentar a falta dele. Aguentar e não lutar. Dormir.

Este é o meu país.

E isso é uma pena...


publicado por A Mona Lisa tinha Gases às 05:34
link do post | comentar | favorito
8 comentários:
De Toctosco a 22 de Junho de 2013 às 15:56
Já uma vez quis pôr isto aqui, mas fui censurado:

Mona Lisa tinha gases/E a colite em certas fases/A provocar-lhe prisão/A peidar-se e a tossir/'Inda o Natal há-de vir/Sem largar o cagalhão



De A Mona Lisa tinha Gases a 22 de Junho de 2013 às 23:43
Se te faz feliz...


De cátia a 22 de Junho de 2013 às 17:39
Olá Mona Lisa,
gostei do que li e por isso tomei a liberdade de citar parte deste post no meu "cantinho".
Infelizmente esta a realidade deste país, mas também um facto de que a raça humana é mesmo assim, não se olham a meios para se atingir os fins, mesmo que isso implique passar por cima das outras pessoas. Não é a única a pensar assim e porque eu não teria escrito melhor, citei-a no meu blog. Espero que não se importe :)


De A Mona Lisa tinha Gases a 22 de Junho de 2013 às 23:45
Olá Cátia!
Não me importo de modo algum, estás à vontade! :)


De silentvoices a 10 de Setembro de 2013 às 14:47
XIII... que saudades deste cantinho!!


Beijinho


De A Mona Lisa tinha Gases a 27 de Setembro de 2013 às 10:54
XIII! Que saudades tuas! :D
O tempo é uma bitch...


Beijinhos


De Mamã Curiosa Mariada a 25 de Novembro de 2013 às 22:19
Totalmente de acordo com o que escreveu. Infelizmente é assim...


De Mamã Curiosa Mariada a 25 de Novembro de 2013 às 22:20
Totalmente de acordo com o que escreveu. Infelizmente é assim...


Comentar post

Ninguém percebe o Leonardo. A Mona Lisa nao estava a sorrir, estava com gases. É o primeiro registo de arte escatológica.

E-mail
Facebook
No Twitter

.mais sobre mim


. ver perfil

. seguir perfil

. 185 seguidores

.pesquisar

 

.Outubro 2017

Dom
Seg
Ter
Qua
Qui
Sex
Sab

1
2
3
4
5
6
7

8
9
10
11
12
13
14

15
16
17
18
19
20
21

22
23
25
26
27
28

29
30
31


.posts recentes

. Vira lá a outra face

. O acessório

. O meu busto é mais bonito...

. Aquarius

. Vamos fazer amigos entre ...

.últ. comentários

Mesmo... É incómodo lembrar.
Ainda custa a digerir o desaparecimento de um ídol...
as aveiros devem estar a ferver...
Oh pá, e eu já nem me lembrava disto. E foi tão b...

.arquivos

.tags

. todas as tags

.links

.Quantos já cá vieram soltar gases

.Quem anda aí...

online
Add to Technorati Favorites
SAPO Blogs

.subscrever feeds